Harry Potter e a Câmara Secreta – Resenha Breve

Recentemente decidi que queria ler todos os livros de Harry Potter, afinal tentei ler eles quando tinha uns 14/15/16 anos e lembro de ter achado a escrita ruim e fiz várias críticas a J.K Rowling (mas adorava os filmes).
Li A Pedra Filosofal não faz muito tempo e até escrevi o que achei do livro aqui no blog mesmo. E essa semana (22/12/2016) terminei A Câmara Secreta.

Pra começar a edição embora seja simples e bem feita. Tem seus errinhos mas nada que incomode a leitura. O livro é fino e algumas pessoas conseguiriam ler ele em 1 ou 2 dias no máximo, eu acabei levando 20 dias (um pouco por causa de preguiça e outro pouco por .. preguiça).
A história é a mesma que a do filme.
Harry volta das férias para seu segundo ano em Hogwarts, ai descobrem que uma câmara foi aberta liberando um monstro que sai petrificando todos os alunos nascidos trouxas (que não tem o sangue puro de bruxo). Então Harry junto de Rony e Hermione resolvem os mistérios e no final derrotam o monstro salvando todo mundo.
Simples não é mesmo?
Porém quando você cresce de certa forma envolvido com aquele mundo, que no meu caso foi graças aos filmes, acaba te trazendo uma sensação de nostalgia.
Faz um bom tempo que não assisto Harry Potter e a Câmara Secreta e ler o livro me fez imaginar o filme inteiro na cabeça.
Pra galera mais exigente o livro provavelmente não vai funcionar. Então recomendo pra todos aqueles que cresceram vivendo um pouco de Harry Potter e também mas as crianças e os adolescentes de agora. Eu infelizmente não tive a chance de ler os livros antes de ver os filmes. O que acabou impedindo aquela imaginação boa. De pensar como seria a aparência do personagem x ou y. Então se de alguma maneira você não viu nenhum dos filmes de Harry Potter eu realmente recomendo a leitura do livro. E deixe a imaginação rolar. Prometo que irá se divertir.

Por hoje é só pessoal
Um beijo no queixo
Annie Bitencourt

Minha Extração e Outras Novidades

Finalmente fiz a extração que eu precisava fazer. Foi nesse último dia 04 de janeiro, ainda estou me recuperando e sentindo dores aqui e ali. Tomando antibiótico e vários analgésicos. Ontem ficamos sem água na cidade e foi a coisa mais agoniante. Me senti suja o dia inteiro. Mesmo tomando banho de balde (um pouco antigo né). Enfim, aproveitei esses dias que fiquei ‘mofando’ para ler bastante e estou quase no fim de Cálice de Fogo (e ainda nem fiz a resenha de Prisioneiro de Azkaban 😮 ).
Vi ontem o trailer da nova temporada de Bates Motel e gente deu até um arrepio aquilo. Me deu vontade de ver o fime pela enésima vez (porque pelo menos 1 vez no ano eu preciso assistir né). Freddie Highmore agora até me dá um certo medo depois de ter interpretado o Norman Bates, e pensar que eu achava ele fofinho em Fábrica de Chocolate.
Assisti finalmente o filme A Garota no Trem, tudo bem que queria ter lido o livro primeiro, e confesso que até tentei mas ou o PDF que arranjei tava malfeito ou o livro é muito mal escrito, mas vamos voltar ao filme.
Eu realmente não entendi o motivo de compararem com Garota Exemplar. Embora nos dois tenham mulheres como personagens principais, e mulheres bem problemáticas a semelhança para bem aí.
A história de Garota Exemplar me pareceu muito mais cativante e olha que nem consegui terminar o livro, mas o filme tinha gostado bastante.
Continua bastante quente na cidade onde moro e mesmo com os temporais que ocasionalmente vem não fica ameno nunca. Não vejo a hora de chegar o inverno.

Vou voltar agora no assunto da extração.
Eu estava com um dente doendo desde fevereiro/março do ano passado. Jamais esqueço no dia que estava em plena aula prática do curso de química que eu fazia e aquela dor começou a latejar e eu não consegui mais prestar atenção na aula. Mas até então era uma dor que incomodava mas de noite eu conseguia dormir. Então em abril no meu aniversário a dor voltou num tudo. E lembro do meu namorado coitado correndo atrás de remédio forte pra dor para eu poder dormir a noite. Nisso eu já tinha ido no dentista (que na época não era a dentista maravilhosa que me atende agora) e tinham marcado a extração pra abril ou começo de maio. Não lembro direito. Pois bem, chegou o dia fui lá na clínica e na hora que o dentista veio com a anestesia eu surtei legal. Me desesperei de um jeito que nunca tinha acontecido antes (só com baratas voadoras). Chorei bastante e então depois de ter tentado mais 2 vezes decidi voltar para minha antiga psicóloga. Que durante o mês de maio/junho inteiro voltou a terapia para o meu medo de agulhas. Um belo dia marco novamente a extração e dessa vez a psicóloga me acompanha. Ela então percebe que o meu medo mesmo era de sentir dor. A dor da picada da agulha, a dor do procedimento, enfim qualquer dor.

“Ah mas Annie você passou meses com dor”

Pois é, eu não sei explicar mas acredito que o medo da dor seja no sentido de uma dor que possa ser causada por um terceiro.
Se eu me corto por exemplo sinto aquela ardência do corte, e vou com olho fechado atrás de band aid (porque eu desmaio ao ver sangue) mas se uma outra pessoa, que nem precisa me cortar, apenas dar um beliscão eu vou sentir aquela dor uma coisa imensa. É muito estranho eu sei. Mas levou meses pra eu chegar nessa conclusão.
A terapia me ajudou demais (eu não sei se minha psicóloga vai ler esse post mas se ler: Obrigada por tudo!) e muita gente acha bobagem pagar para uma pessoa nos ouvir. Mas geralmente a galera que vai pra um psicólogo é porque não achou gratuitamente alguém que lhe dê ouvidos sem julgar.
Eu não tenho mais medo de falar o que realmente sinto pra minha psicóloga. É muito mais confortável que falar pra um diário afinal no diário você acaba caindo na tentação de ler aquilo e reviver esses sentimentos negativos. Diferente de conversar com alguém e conseguir bons conselhos.
Eu não perdi totalmente o medo de sentir dor. Na verdade eu ainda choro muito em pensar em ir no dentista ou pensar em agulhas (vou ter que fazer outra extração daqui umas semanas provavelmente) só que agora eu achei uma dentista em quem posso confiar. Ela não é simplesmente uma pessoa num jaleco esperando o dinheiro com um tratamento quase milionário. Confesso que ela cobra bem mais que os outros dentistas que tinha ido antes mas a confiança que ela me passou é tão grande que não me ligo mais pelo preço que ela cobra. Afinal ela tirou a minha dor. Graças a ela eu vou poder comer as coisas que eu gosto sem me preocupar se a comida vai encostar no dente e se vou sentir dor de noite.
O pós operatório de uma extração é uma merda. E no meu caso então que pelo que me falaram ontem foi um extração bem complicadinha tá sendo difícil demais. Os pontos estavam cortando minha língua e puxando minha gengiva de uma maneira que qualquer movimento que eu fazia, até tomar água, doía demais. Ontem não aguentei de desespero e fui na dentista, meio que me deu a louca mesmo, e ela deu uma olhada disse que estava tudo bem com a cicatrização (a pessimista aqui já tinha visto até pus nos pontos) e até tirou os pontos. Nossa, outra coisa!
Claro que ainda não consigo comer uma costela assada e provavelmente só irei conseguir quando extraírem o outro dente. Mas só de saber que já não tá doendo mais pra falar, tomar água, já é incrível.
Ah hoje é aniversário da Flocos, está fazendo 8 meses. E está enorme!!!!

O antes e o depois

c1qup3yw8aemk2r

Ela nos primeiros meses com a gente

czuf4newgaeyfrr

Ela agora

czuf4luxuaegm9a

Ps.: é a mesma almofada da caminha.

Bom por hoje é só
Vou voltar pra minha leitura que Cálice de Fogo é um livro bem grandinho.

Um beijo no queixo
Annie Bitencourt

Ps.: Ontem fui pro shopping pra ir na farmácia que tem lá dentro e acabei saindo com 2 livros.
Ps2.: Comprei A Menina que Roubava Livros por apenas 15 reais
Ps3.: Estão fazendo carne de panela em algum apartamento e minha barriga está roncando já. Mas lá vou eu ter que almoçar iogurte.