A História Esquecida

Vocês já pararam para pensar em tudo o que aprendemos dentro da matéria de História durante o fundamental e o médio? Para exemplificar bem usarei do meu exemplar do BNCC (Base Nacional Curricular Comum):

A partir do 6º ano do fundamental, por exemplo, aprende-se sobre cronologias de tempo, pinceladas sobre povos da antiguidade na África, no Oriente Médio, nas Américas, um tanto da cultura grega e romana, o básico de reformas religiosas, expansão marítima, um pouco sobre feudalismo, capitalismo, Era Vargas, pinceladas em revoluções Inglesas, Francesas e industrial, escravidão no Brasil, crise de 29, 1º e 2º reinado, primeira guerra mundial, segunda guerra mundial, piadinhas sobre Hitler ser artista frustrado, piadinhas sobre o grito da independência…

Do meu próprio ensino médio e fundamental lembro de aprender sobre algumas culturas (gregas, romanas e egípcia) mas não lembro de aprender sobre a cultura asiática por exemplo. Não lembro de aprender, de uma forma detalhada, sobre o oriente médio. E até mesmo a história cubana, que aprendemos, ou melhor, passamos a ouvir falar sobre Che Guevara.

Fiquei um tempo me questionando o motivo de não ter destaque para essas outras culturas. Essas outras histórias.
Pelo que me foi informado também na Palestina foram proibidas quaisquer escavações depois dos anos 2000. O que causa um impedimento grande para o conhecimento do povo palestino. Mas mesmo antes dessa proibição pouco valorizamos a cultura deles. Nós, ocidentais, pegamos essa História, e espalhamos para nós mesmos. Criamos uma versão ocidental dessa História.

A falta de conhecimento a respeito desse povo tão rico em História ajuda a perpetuar um certo preconceito. Para nós é algo muito misterioso, que desperta curiosidade e ao mesmo tempo nos sentimos “superiores” a eles por sermos “mais desenvolvidos em tecnologia”.

Precisamos criar esse interesse em aprender sobre essas culturas pouco ou nada exploradas. Mas ouvir a História deles vinda por eles. Pegar um pouco suas próprias perspectivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *