Melodia do Mal / Resenha (LIVROS)

melodia1-e1412801261870

Devo começar dizendo que nunca havia lido nada de Lindqvist antes. Nem mesmo tinha escutado falar em seu nome. Apenas depois que comecei a ler Melodia do Mal que descobri que ele também escrevera Deixa Ela Entrar.

Melodia do Mal é um livro de terror de 488 páginas. No começo somos apresentados a Lennart (um músico frustrado) que encontra um bebê dentro de um saco plástico quase morrendo. Resolve adotar essa criança.
Passa a treiná-la dia e noite com músicas pois percebera que a criança tinha um dom enorme para cantar. E com medo de que outras pessoas viessem levá-la embora passou a deixá-la trancada em um porão. Alimentando-a com papinha de bebê (que depois que a menina cresce continua sendo a única coisa que ela gosta de comer) e incentivando-a a cantar cada vez mais.

O livro começa lento, que embora fique chato as vezes por causa de tanto detalhe isso acaba sendo importante para conhecermos mais sobre os personagens. E até mesmo em reparar suas mudanças no decorrer do livro. É uma leitura fácil, não tem palavras difíceis. Exceto algumas frases em inglês mas com a tradução no final do livro. Uma edição competente. Não encontrei nenhum erro de edição. Achei o trabalho de capa lindo, mas que não capta nada da grandiosidade da obra. Não conhecia a editora que foi responsável pelo livro no Brasil. Então pouco tenho a falar sobre ela. Em resumo digo que o livro é muito bom. Tem uma história muito boa, bem escrita. Minha única reclamação é o final em si. Achei um pouco vago com margem pra continuações.
Recomendo para todos os fãs de terror.

Psicose / Resenha (LIVROS)

Essa resenha era pra ter saído na semana do Halloween, mas por causa de uns problemas pessoais não consegui fazer a resenha. Mas hoje sai!

Pra começar a fotinho da edição que eu tenho, que é simplesmente linda!

tumblr_nxpxzltFdj1r6gmqeo1_540

O livro é da editora DarkSide, que pra quem não conhece é a responsável por investir em livros no gênero de terror e fantasia. O trabalho deles é simplesmente maravilhoso, e isso vai desde o cuidado para a escolha da capa, do papel e até o cheirinho de livro novo deles é diferente. Enfim, tudo maravilhoso!

Sem título

Quem quiser saber um pouco mais só clicar na imagem ok?

631366921019G

Voltando a Psicose, essa editora fez duas edições para o livro. Uma em capa dura e a outra ‘normal’. Eu comprei a edição normal, a simples, porque achei a capa dela muito mais bonita que a de capa dura. E também porque era mais em conta pra mim.

Edição Capa Dura: R$ 41,70 (submarino)
Edição normal: R$ 29,92 (submarino)

Esse livro me despertou muito interesse depois que fiquei sabendo que Hitchcock tinha comprado todas as edições disponíveis do livro na época que ele lançou o filme. Eu fiquei pensando “como assim tem livro?”

Ele não é um livro grande, li em mais ou menos 3 dias. Tem umas 240 páginas, e a história é tão incrível que essas 240 páginas parecem 20.

Não preciso falar que se tornou meu livro favorito (que antes era só Moby Dick). Eu já era apaixonada pelo filme, tanto o de Hitchcock quanto o remake, amo demais a série Bates Motel então óbvio que o livro não seria diferente.

A história todo mundo já conhece, mas quem nunca ouviu falar em Psicose é assim: conta a história de Mary Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora.

O suspense dele te prende de uma maneira que eu não sei explicar. Antes de ler o livro pensei: “ah, não vai ter tanta graça até porque já vi o filme várias vezes, já sei da história”. E confesso pra vocês, consegui me surpreender mesmo sabendo de tudo que ia acontecer.
Em comparação com o filme tem umas diferenças sutis. Como a aparência de alguns personagens e até mesmo a parte psicológica, que no livro achei mais detalhado.

Gostaria de parabenizar a Anabela Paiva por ter feito uma tradução excelente do livro.

Não sei se é spoiler ou não mas parece que a história foi levemente baseada em um serial killer real. Que não colocarei o nome aqui pois acredito que isso sim seria um baita spoiler.

Apesar de amar o filme de Hitchcock devo reconhecer que o verdadeiro talento por trás é Robert Bloch, afinal se não fosse pela história maravilhosa que ele escreveu o filme não existiria. Acho até injusto que muitos conheçam bem mais o nome do diretor do filme que aquele por trás de toda a história.
O livro teve dois lançamentos no Brasil, em 1959 e 1964. Devemos agradecer a DarkSide orgulhosamente ter tido o prazer de , em julho de 2013, lançar Psicose para a galerinha dos tempos atuais que não tiveram a chance de ler as edições antigas.

Norman Bates é um personagem extremamente cativante e os capítulos voltados a ele, na minha opinião, são os melhores.
Eu diria que a história é completamente moderna. Achei que teria uma linguagem bem difícil e provavelmente uma leitura massante cheia de pausas para o dicionário porém foi totalmente o contrário. A escrita é de fácil compreensão, o que faz o livro ser um ótimo entretenimento.

Cá entre nós, eu adoraria que um diretor visionário de atualmente, fizesse uma versão tão boa quanto a de Hitchcock, embora já exista o remake de 98 (se eu não me engano) e a série, acho que o filme repaginado com outros atores e com a tecnologia do cinema de agora seria muito bem vindo. Pelo menos pra mim.

Bom, é isso. Eu me apaixonei pelo livro e fiquei mais apaixonada ainda pelo ‘universo’ de Psicose e toda a questão psicológica abordada. Recomendo pra todo mundo que gosta de um bom suspense com toques de terror.

Nota 10!

Por hoje é só!

Um beijo no queixo
Annie Bitencourt

Ps.: Leiam o livro, assistam aos filmes e a série ok?

Caixa de Pássaros / Resenha (LIVROS)

Então pela primeira vez na vida me rendo ao livro do momento. A praticamente um lançamento. Em um gênero que embora eu ame tanto no cinema e até reproduza na escrita nunca tinha me dedicado fielmente na leitura: Terror. Me rendi ao livro Caixa de Pássaros do Josh Malerman.
O autor do livro é cantor e compositor da banda de rock High Strung. Filho do meio, Malerman gosta de escrever ao som de trilhas sonoras de filmes de terror, como Grito de Horror e Creepshow – Arrepio do Medo. Ele mora em Ferndale, Michigan, com a noiva. E Caixa de Pássaros é seu romance de estreia.
Informação básica né gente?

Vamos a resenha? Vamos!!! Ah, mas antes um aviso. Se você NÃO leu Caixa de Pássaros pare o post por aqui pois o texto poderá ter SPOILERS.

tumblr_nws5z2BKY71r6gmqeo1_540

“HÁ ALGUMA COISA LÁ FORA”

Pessoas começam a se matar e matar os outros. Aparentemente algo do lado de fora, algo que é visto, causa essa loucura, porém ninguém sabe o que é.
O livro na maior parte do tempo chama essa ‘causa’ de Criatura. E são várias. Você não pode abrir os olhos pois se fizer isso enlouquece.
Imagina dirigir um carro com os olhos vendados em um mundo praticamente caótico? Com corpos nas ruas, animais enlouquecidos e você tendo que confiar apenas nos seus instintos.
Malorie passa por tudo isso. O livro se passa em dois períodos de tempo: Melorie há 5 anos atrás, e a Melorie agora.
Nossa personagem principal é praticamente uma pessoa de poderes afinal consegue criar 2 crianças e as treina desde pequenas para enfrentar o mundo maluco lá fora. Passamos o livro inteiro vendo-a chamar seus filhos de Garoto e Menina, e isso é totalmente justo, afinal precisamos ler a história inteira para compreender a origem dos nomes das crianças. Que eu achei bem fofo aliás.

josh-malerman-photo-by-allison-laakko

(imagina ficar assim o tempo todo que andar na rua? Eita nós!)

Essa coisa que você saber que tem algo lá fora que pode te enlouquecer mas não poder enxergar é o charme do livro. Várias vezes me peguei checando as janelas do quarto e ouvindo barulhos estranhos enquanto lia o livro. Acho fundamental falar que existem 3 cenas, digamos assim, no livro inteiro que mais me provocaram agonia. E fiquei imaginando-as em uma adaptação cinematográfica. Que eu realmente espero que tenha.

Estou falando de um mundo onde já não existe mais acesso a internet, a comida está acabando e estragando nas prateleiras do mercado, você não pode confiar nem mesmo no vento que sofra lá fora. Isso é agoniante e genial da parte do Josh Malerman.

A única parte que alguns podem não gostar do livro é o fato que em nenhum momento é revelado o motivo das pessoas enlouquecerem e nem exatamente o que é causa essa loucura. Então ficamos nessa de Criatura apenas. E o final para alguns pode ser decepcionante. Não é uma coisa definitiva. Não é um final fechadinho e bonitinho com tudo explicado para o leitor. Você termina o livro é que elaborar teorias para tudo o que aconteceu ali. Quem já leu minhas histórias sabe bem que eu também tenho uma mania de deixar os finais em aberto para a cabecinha do leitor imaginar mil e uma coisas.

Já na capa do livro fui surpreendida por um comentário bem no topo: “Um livro que deve ser lido de uma só vez. Ninguém havia escrito uma história de terror como essa antes” (Hugh Howey – Autor de SILO)
Olha só que coincidência não é mesmo? haha

A capa do livro é tão enigmática quanto maior parte do livro. A origem do nome Caixa de Pássaros é bem simples sem nada mirabolante. Apenas um sistema de alarme. E aquelas letras em azul “NÃO ABRA OS OLHOS” foi uma tacada de mestre. O que eu mais gostei dessa edição da Intrínseca foi o fato de manterem praticamente a capa original. Diferente de vários livros onde a capa original é de um jeito é a versão brasileira é uma capa bem diferente. Ponto pra Intrínseca!
E mais um ponto para a Intrínseca porque o livro não tem aqueles erros grotescos de edição que tinham em SILO.

Olhem a capinha gringa

Bird_Box_2014_book_cover

E a brasileira

Caixa-de-Passaros (1)

Muita gente espera continuação do livro. Mas pelo que vi Josh já disse que não terá continuação. E cá entre nós prefiro assim. As vezes certas perguntas serem respondidas estraga toda a magia.

O livro não é um terrorzão, se fosse um filme teria classificação 14 anos creio eu. Mas ele funciona demais como um suspense com toques de terror. E o mais interessantes são as músicas que o autor cita no texto. Que eu recomendo vocês a ouvirem enquanto estão lendo. Te faz se sentir na história. Sério!

Um bom livro, uma história muito boa, bem executada. Pra mim é nota 10. Recomendo para todos!

E se você já leu o livro me diz aí nos comentários o que achou dele. 😉

Por hoje é só!
Um beijo no queixo
Annie Bitencourt

Silo – Wool / Resenha (LIVROS)

Ontem, depois de 13 dias, finalmente terminei Silo livro de Hugh Howey. Estava na dúvida se faria ou não uma espécie de resenha para ele.
Para começar os resumos encontrados sobre o livro são extremamente confusos e não te passam noção nenhuma do que seria a história. Eu comecei a ler o livro ser saber exatamente o que estava lendo.

Antes de qualquer coisa provavelmente terá SPOILERS nos meus comentários abaixo, portanto se você ainda não leu o livro pare de ler o post aqui.

tumblr_nwotskvGpk1r6gmqeo1_540

A história começa com o atual xerife do silo Houston sendo condenado para a limpeza. Eu levei 150 páginas para entender qual era da limpeza, e então vou adiantar que é literalmente uma sentença de morte. Nesse silo existem regras. E me lembrou muito o regime da ditadura que se você falasse ou fizesse algo indo contra as ideias do governo iria preso e provavelmente seria morto. E o livro basicamente é isso. Antes de Houston ser condenado sua esposa já tinha ido fazer a limpeza no passado. Ela inventou de investigar algumas coisas suspeitas na área de TI (os bad guys da história) e então a mandaram para fora do silo 😮

Mas o que tem lá fora? Toxinas! Imagine um mundo sem esse céu azul bonito de todos os dias, sem essas nuvens brancas e as gramas verdinhas. Imagine nuvens cinzas, tornados de areia frequentes e nenhum sinal de vida externa. E era pra esse lugar que os rebeldes eram condenados.

A esposa de Houston morre. Depois Houston morre também, e deu corpo inclusive fica do lado da esposa 🙁

E então somos apresentados a Juliette (ou Jules ou Julie) que é indicada para ser a próxima xerife substituindo Houston. Para vocês terem uma ideia o silo no livro tem tipo uns 130 andares se não me engano, a sala do xerife ficava nos primeiros andares, no topo mesmo, e a mecânica (onde Jules trabalhava inicialmente) ficava no final do Silo, lá nos andares cento e alguma coisa. Enquanto isso a TI ficava entre os dois. Tanto que para ir no topo ou no final do silo sempre passava pela TI. Juliette então aceita ser a xerife.
Coisa vai, coisa vem e então ela é mandada para a limpeza 😮

LuxurySurvivalCondo1

E é apenas aí que o livro começou a ficar interessante pra mim. Pois acabamos descobrindo muitas mentiras, e passamos a não confiar em ninguém e até ficamos temerosos quando Juliette decide confiar numa pessoa. E então você devora esse meio do livro inteiro em pouco tempo e chega no final.

O final, pra mim, foi o mais decepcionante. Howey tentou forçar um romance que não deveria existir e transformou uma das melhores personagens em uma coisinha patética e pequena que não te passa confiança nenhuma de heroísmo. É como se pegassem a Katniss do primeiro livro e colocassem ela para cozinhar e lavar cuecas do Peeta no último livro.

Outra coisa que me incomodou muito foi o modo que o livro foi escrito. É uma coisa que começa arrastada e detalhada demais e depois fica extremamente corrido e você fica se perguntou se dormiu em alguma parte do livro e acabou perdendo certos detalhes. Como por exemplo o momento que começa a rebelião no silo depois que Julie é mandada pra limpeza. Foi uma coisa tão rápida que me pareceu mágica.

wool

(Acho que essa seria a Jules depois que vai pra limpeza. Essa é exatamente a ideia de mundo caos que eu imaginei. Parabéns pra quem desenhou)

“Ah fulana foi condenada a morte ahhhh vamos sair metendo bala em tudo” Sério, foi basicamente isso. Teve momentos que eu até ficava do lado dos caras da TI porque eles pareciam mais perdidos que eu naquela história.

Esperava mais do vilão também, que ainda não acredito que ele teve o final que teve.

Ah, e muitos erros de edição.

tumblr_nwot00I9DB1r6gmqeo1_400

Ps.: era pra ser Queixo

tumblr_nwot0r9pMa1r6gmqeo1_400

tumblr_nwot0e3GxN1r6gmqeo1_400

Embora alguns que repararam nesses erros não tenham se incomodado tanto eu quase desisti de ler por causa disso.
Senti que o livro tinha um potencial enorme mais Hugh Howey não sabia o que fazer com isso. Tudo bem que o livro tem uma continuação, mas precisava ser tão +- o primeiro livro?
Bem diferente de Criança 44, que o primeiro livro que empolga para ler a continuação. E o final é tão fechadinho que mesmo que você não queira ler as continuações você fica satisfeito com a história mostrada. Em Silo não. São tantas perguntas sem respostas que meio que te obriga a ler os outros livros se você quiser entender toda a história.

Nunca tinha lido distopia nenhuma. Nunca li Jogos Vorazes ou qualquer outro semelhante. Silo é realmente o único que li nesse gênero. Uma história boa? Sim, que podia ter sido mais explorada. Tenho fé que no 2º livro seja melhor, mas ainda não vou partir pra sequencia até porque já comecei a ler Caixa de Pássaros.

Para quem já leu distopias provavelmente o livro será apenas ‘mais um’ do gênero. Para outros talvez seja uma surpresinha agradável.
Eu gostei, achei interessante e agora que já superei a raiva do final que foi dado para o livro acredito que até indicaria ele para alguém.

Ps2.: Meu namorado me deu ele de presente.

Ah esse é o 2º livro

CAPA-Ordem

Ofertas (só clicar no nome das lojas que poderá comprar o livro 😉 )

Extra R$ 26,90

Americanas R$ 23,12

Submarino R$ 28,90

Livraria da Travessa R$ 39,90 (baixou para R$ 37,51)

Saraiva R$ 31,90

E para quem se interessar tem um terceiro livro que acho que não foi lançado no Brasil ainda chamado Dust. Provavelmente é o livro final. Essa é a capinha dele

17855756

Quem manja de inglês provavelmente já pode comprar Dust 🙂

Então é isso pessoal!

Um beijo no queijo (OPS!)
Annie Bitenocourt

Ps3.: Poxa Intrínseca podia ter dado uma revisão melhor né?

Criança 44 – Child 44 / Resenha (LIVROS)

Estive um pouco afastada daqui da internet pois estava lendo um livro. O tal livro é Criança 44

Criança 44

Fiquei completamente absorvida por essa leitura. O livro tem um pouco mais de 400 páginas. Comecei assim que terminei de ler Morro Dos Ventos Uivantes, para ser mais exata no dia 03 de Outubro e terminei-o ontem dia 08 de outubro. Dá pra perceber a diferença em um livro e outro né?

Antes de comentar sobre qualquer coisa a respeito de Criança 44 (Child 44) preciso dizer que assisti o filme antes do livro. Para quem não sabe esse é o filme:

434057

Esse é o trailer:

Não prometo exatamente uma resenha, acho que apenas preciso comentar sobre o livro. Para começar já posso dizendo que ele é um pouco thriller, um pouco suspense, um pouco drama, um pouco romance, um pouco policial.

A parte difícil de falar é o problema do spoiler. Eu por exemplo assisti o filme antes do livro, já adianto que o filme tem apenas algumas coisas do livro. O final por exemplo não absolutamente nada a ver. E isso é bom afinal não te tira a surpresa do final do livro. Que é muito bem feito por sinal.

Bom nós somos apresentados a Liev (que no filme é Leo) um agente da MGB (tipo uma agência de inteligência da Rússia) que junto de sua esposa Raissa tentará desvendar quem é o responsável por assassinar várias crianças. O livro se passa na época de Stálin, que dizia “não há crimes no paraíso” frase aliás que tem bastante importância. Nessa época qualquer pessoa que fizesse algo não voltado 100% para Rússia era considerado traidor. Aquela velha história que acho que Hitler também fazia e se não me engano foi mencionado em A Menina Que Roubava Livros. Se alguém fosse pego assistindo um filme ou lendo um simples livro de alguém não aprovado pelo ‘Líder’ já podia se preparar para ir preso.
O livro fala bastante disso até. É mencionado em várias páginas a palavra Gulag. Que resumindo era tipo um lugar onde os presos eram levados para trabalhar pesado até praticamente morrer. Se vocês darem uma lida rápida no wikipedia conseguirão entender melhor.
Tem uma parte perto do fim do livro que mostra o quão intolerantes eles eram (ou será que ainda são?) com homossexuais. Que o livro deixa claro que o homossexualismo era considerado uma aberração e que você até podia ser preso.
O romance de Tom Rob Smith é baseado na história real do serial killer Andrei Chikatilo, também conhecido como o Estripador de Rostov, que foi o responsável por 52 assassinatos na União Soviética.

Infelizmente não posso explorar tanto a história do livro sem largar um spoiler sem querer. Apenas digo que o livro é muito interessante justamente pelos temas abordados. É uma leitura rápida, para quem gosta do gênero óbvio, com linguagem simples (com exceção de alguns termos em russo) e bastante fascinante.

Criança 44 faz parte de uma trilogia. Ainda não li os outros livros, mas pretendo em breve assim que ter dinheiro para comprá-los 😉

Essa é a ordem da trilogia

01 – Criança 44
02 – O Discurso Secreto
03 – Agente 6

Bom, pessoal, está aí. Queria poder falar mais mas quero primeiro que vocês se surpreendam com essa leitura assim como eu fui surpreendida. Ah antes que eu esqueça, foi meu namorado que me indicou o livro, que confesso a vocês não colocava fé nenhuma antes.

Ps.: Acho a capa dele muito linda!

O Morro dos Ventos Uivantes – Emily Brontë / Resenha (LIVROS)

Tinha escrito essa resenha antes de terminar o livro, mas como já tinha assistido as adaptações e lido várias resenhas sobre ele acabei sabendo toda a história. Hoje finalmente o terminei.

IMG_20151003_162356

Decidi já escrever a resenha sem antes mesmo terminar de vez o livro porque já sei a história completa.
Para começar o livro traz o romance sofrido entre Heathcliff e Catherine Earnshaw (personagem mais chata do livro na minha opinião). O primeiro foi adotado pela família de Catherine, e praticamente sofreu bullying a vida inteira, até mesmo antes de adulto.
Os dois se apaixonam porém Catherine escolhe casar-se com Linton por causa do dinheiro (inimigo de Heathcliff), ao invés do seu grande amado. E isso causa uma frustração geral. Tanto por parte de Catherine, como de Linton e Heathcliff. Então vem várias brigas, invejas, ciúmes e vingança. O amor, outrora sentimento inicial da trama, é deixado de lado e começamos a nos deparar com um drama sombrio, da metade para o final do livro.
Catherine acaba morrendo o que traz mais sofrimento a Heathcliff. Que possuído pelo desenho de vingança por todos que o humilharam acaba tratando todos mal. Inclusive os filhos de seus inimigos, e seu próprio filho. Depois de tanto sofrer Heathcliff no final acaba se matando por não aguentar viver sem sua amada.
A história é muito linda, com algumas coisas muito clichês, mas muito linda. Se você se coloca no lugar de Heathcliff acaba meio que sofrendo junto com ele.
Eu passei o livro inteiro desejando que parassem de chamar Heathcliff de demônio e passassem a compreender o que ele sentia, ou deixou de sentir.
A escrita, embora perfeita no sentido técnico, é massante. Tinha horas que eu pensava seriamente eu desistir do livro e passar pra outro porque não aguentava o excesso de intrigas desnecessárias e detalhes que não eram importantes para a trama.
No geral é um bom livro. Essa edição bilíngue é maravilhosa. Se você tem paciência para coisas estilo novela mexicana irá amar e se emocionar com o livro. Caso contrário será frustração na certa.