Jurassic Park – Resenha

Jurassic Park – Resenha

26 de junho de 2018 2018 Ficção Científica Livros 0

 

Autor: Michael Crichton
Editora: Aleph
Páginas: 528
Gênero: Techno – Thriller/ Ficção Científica
ISBN: 9788576572152
Skoob: JURASSIC PARK

Sinopse: Uma impressionante técnica de recuperação e clonagem de DNA de seres pré-históricos foi descoberta. Finalmente, uma das maiores fantasias da mente humana, algo que parecia impossível, tornou-se realidade. Agora, criaturas extintas há eras podem ser vistas de perto, para o fascínio e o encantamento do público. Até que algo sai do controle. Em Jurassic Park, escrito em 1990 por Michael Crichton, questões de bioética e a teoria do caos funcionam como pano de fundo para uma trama de aventura e luta pela sobrevivência. O livro inspirou o filme homônimo de 1993, dirigido por Steven Spielberg, uma das maiores bilheterias do cinema de todos os tempos. 

Eu sempre fui apaixonada por Jurassic Park. Todos aqueles dinossauros e aquelas tretas que me deixavam sem respirar até a hora dos créditos subirem. Decidi rever o filme de 1993 por causa do lançamento de Jurassic World: Reino Ameaçado e acabei tão empolgada novamente que comecei a ler o livro (e posteriormente acabei assistindo todos os filmes dos grandões).

Confesso que me apaixonei pela capa do livro quase um ano atrás na livraria e decidi que ia comprar (e queria ter aproveitado pra comprar o Mundo Perdido também mas faltou verba). O livro acabou ficando um pouco parado na estante. Eu tinha a imagem tão perfeita do filme que tinha medo do livro estragar aquela magia toda e fiquei enrolando pra ler.

Esse ano enquanto fazia minha lista de leituras decidi que era hora de encarar Jurassic Park. E funcionou perfeitamente bem. A leitura do livro não me fez ficar revoltada com o filme (que nem aconteceu com Crimes Ocultos / Criança 44 e todos os Harry Potters) e acabei ficando tão apaixonada (muito mais do que já era) pela história que me empolguei e já coloquei na listinha a leitura de Mundo Perdido.

Fazia muito tempo que não tinha aquele sentimento de ter um livro lido como favorito. A maioria das minhas leituras recentes mesmo sendo boas não cativavam tanto quanto eu gostaria. Jurassic Park oferece aquele calorzinho especial no coração dos fãs dos dinossaurões do cinema e propõe discussões interessantes.

O final do livro é diferente do filme (por isso inclusive a plaquinha spoilers antes do texto). Descrições de alguns personagens e as aparições dos dinossauros também são um pouco diferentes do filme. O que não é nada ruim. Afinal Crichton (que também foi responsável pelo roteiro do filme de 1993) nos fisga na história desde o início. E consegue manter nossa atenção (exatamente como no filme).

Tinossauro Rex aparece bastante no livro

Ian Malcolm traz em suas falas praticamente o mesmo discurso do filme. Aquele pessimismo realista e tem horas que você acaba odiando ele por sempre acertar.

 

E claro que tem muita menção sobre Teoria do Caos.

A edição que tenho é uma de 2015 pela Aleph, bem frágil. Após a leitura a capa ficou um pouco amassada e a tinta laranja do miolo desbotou um pouco (mas não manchou meus dedos). As últimas páginas trazem além de um agradecimento do autor (no qual ele menciona em quem se inspirou para criar alguns dos personagens), um textinho com algumas curiosidades em relação ao livro e o filme de 1993.

O livro tem um pouco mais de 500 páginas mas a leitura é tão tranquila que você nem percebe tudo isso. Eu mesma (costumo levar 1 mês para ler um livro dessa grossura) li em menos de duas semanas.

 

Ps.: Quem quiser assistir os filmes eles estão disponível pra alugar no Play Filmes por 3,90. Todos os 3 originais. E na Netflix tem Jurassic World (que a gente ignora a Claire correndo de salto com um tiranossauro atrás dela).

Por hoje é só!
Um beijo no queixo
Annie Bitencourt