Fantástico Poltrona

Pensamentos em desconstrução

Marley & Eu – John Grogan

Em 2013, eu tinha tentado fazer a leitura de Marley & Eu. Tinha uma edição pocket com a capa mole e sem orelhas. Na época, eu não tinha ainda o hábito de ler por querer conhecer a história. Lia apenas porque muita gente fazia isso e eu queria ser do mesmo jeito que essas pessoas. Então, por causa disso, fiquei super incomodada com a leitura na edição que eu tinha.

Esse ano resolvi, em uma troca no Skoob, adquirir um exemplar melhor. Com a capa brochura, com orelhas, folhas grandes e dar uma segunda chance para Marley. E foi uma ótima decisão. O livro é divertido e foi ótimo poder relaxar a mente com algo leve.

Já tinha assistido ao filme e já sabia o que acontecia no final. E, apesar de toda a preparação psicológica que eu fiz, ainda assim, derramei um rio de lágrimas. Lembrei de todos os cachorros que tive e fiquei bastante emotiva.

Confesso para vocês que amo livros sobre cachorros. Até então apenas tinha lido por inteiro Quatro Vidas de Um Cachorro (que é muito mais leve que Marley & Eu).

Recomendo para quem gosta de labradores (principalmente filhotes) e vai se identificar muito com tudo que os Grogan viveram junto ao Marley (eu tive uma labradora preta – por uns 5 meses – e ela era uma filhote ligada na tomada haha). Recomendo para quem quer algo divertido mas que também queira largar algumas lágrimas por aí. E no geral recomendo para todo mundo que ama cachorros. No meio de uma pandemia assustadora poder se deliciar com um livro assim é perfeito!

Ps.: Minha labradora se chamava Milk (se chama ainda mas hoje está com outra pessoa) e quando filhote, em uma única tarde, destruiu um carregador de celular, um livro do Cesar Millan e alguns papéis. Apenas 3h longe de casa foi o suficiente para ela fazer tudo isso. Com a experiência que eu tenho hoje, até porque minha cachorrinha Flocos foi uma filhote completamente surtada e eu acabei de esforçando para aprender um pouco de adestramento, a Milk com certeza não faria a mesma coisa.

Annie Bitencourt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo