2019 Annie Filmes

O Demônio da Rua Willow / FILMES

Me irrita demais quando um filme tem potencial mas viaja totalmente na maionese e se perde por completo na tentativa de criar alguma mitologia própria. O Demônio da Rua Willow começa bem, e eu estava até bastante empolgada para a história (ia assistir O Libertino e acabei mudando o filme ao ler a sinopse).

Mas infelizmente o roteiro fraco não é a única coisa ruim aqui. Eu não esperava algo muito grandioso, mas, pelo menos, algo ok pois ouvi falarem bastante desse filme quando ele lançou. Então já fui consciente de que seria algo até um pouco trash, nivel B mesmo. E quem acompanha esse blog sabe bem que eu não tenho muitos padrões relacionados a filme. Dependendo do meu humor eu me divirto muito com um Friday The 13th lá dos anos 80 (inclusive estou fazendo uma longa maratona desde 2018 em todas as sextas-feiras 13), e tem dias que só rola coisa cult mesmo.

Hoje, porém, eu queria um filme pra descansar a mente. Sem precisar pensar demais na história e precisar ligar pontos aqui e ali pra entender o básico. E o filme começa assim, parecia um roteiro simples e eu estava animada para ver por qual caminho iria seguir, e infelizmente foi pro lado errado.

Sinopse: Sequestradores capturam a filha de um rico distribuidor de diamantes na Cidade do Cabo. Durante o planejamento do resgate no cativeiro, descobrem muito tarde que ela foi possuída por um sinistro e poderoso demônio.

O melhor desse filme é que apesar do final não ser o que eu esperava (passou longe disso), também não foi simplesmente um final onde um padre aparecia e ficava gritando “THE POWER OF CHRIST COMPELS YOU”. E é até irônico eu gostar do filme não ter usado esse artifício, afinal um dos melhores filmes de exorcismo que vi foi justamente O Exorcista, mas nesse caso (me corrijam se eu estiver errada) a história era novidade, diferente de agora que 8 em cada 10 filmes de terror tem a temática de pessoas possuídas e padres pra lá e para cá.

Mesmo com muitos problemas na história O Demônio da Rua Willow funciona pra quem tem facilidade de levar sustinhos (eu sou dessas). E se você for bem mente aberta e acostumado com filmes B e trashs não irá se importar com atuações fracas e as ideias mirabolantes da mitologia do filme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *