2019 Annie Leituras

O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde / LIVROS

Fonte: https://www.reddit.com/r/PennyDreadful/comments/3nnhr9/my_girlfriend_painted_dorian_gray_for_month_of/

UM MONSTRO BONITO

Eu já tinha assistido uma adaptação de O Retrato de Dorian Gray que tem o Colin Firth, Ben Barnes e Ben Chaplin, lançado em 2011. Pouco lembrava do filme, sendo totalmente honesta eu só lembrava do ‘plot twist’ final da história. Então decidi ler o livro afinal tinha gostado muito do filme.

Infelizmente ter assistido ao filme primeiro acabou estragando uma grande parte da experiência da leitura. Apesar da adaptação cinematográfica ser péssima (agora falo com mais sabedoria) em todos os sentidos, o plot final revela bastante e mesmo com uma escrita maravilhosa o livro não me fisgou completamente. Se eu não soubesse o que aconteceria na história com certeza teria ficado extasiada com a leitura por meses a fio.

Sinopse: Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.

Fonte: https://edu.glogster.com/glog/dorian-gray/2e4m2u615d0

Dorian se vende para tudo mais podre do mundo. De alma corrupta, criminosa, egoísta e fútil disfarçada embaixo de uma beleza estonteante. Fazer uma análise do livro é um trabalho bem difícil e eu realmente gostaria de poder comentar a respeito disso aqui nesse post. Mas temo pela experiência alheia. Prefiro deixar que vocês desfrutem da leitura e tirem suas próprias conclusões. E por favor, fujam da adaptação de 2011.

Coloquei na minha listinha a adaptação de 1945 e até fim do ano espero ter assistido para então atualizar esse mesmo post.

Cada um de nós, Basil, tem em si o céu e o inferno!

Após a leitura densa e enorme de Crime e Castigo foi maravilhoso ir para Dorian Gray logo em seguida. A edição que eu tenho tem menos de 300 páginas e é a versão censurada da história. Quem tiver a oportunidade pegue a versão sem censura e com notas de rodapé e comentários explicativos. Livros de tamanho renome merecem um cuidado redobrado em nossa leitura.

Por hoje é só!
Um beijo no queixo
Annie Bitencourt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *