Porto Alegre – EU ASSISTI OS BARBIXAS!

Porto Alegre – EU ASSISTI OS BARBIXAS!

6 de novembro de 2017 2017 Viagens 0

 

Ontem fui para Porto Alegre. A Cia. Barbixas de Humor tinha um espetáculo marcado para as 18h. Garantimos os ingressos com antecedência.
Claro que fiquei extremamente ansiosa. Acabei dormindo só 4h e passei o dia exausta e cochilando em pé. Saímos daqui no começo da tarde e chegamos em Poa duas horas antes dos Barbixas se apresentarem. Então matamos o tempo em lugares super bacanas.

Casa de Cultura Mario Quintana (Foto por: Annie Bitencourt)

 

Um pouco de história

A história da Casa de Cultura Mario Quintana tem início em julho de 1980, com a compra do antigo prédio do Hotel Majestic, pelo Banrisul. Em 29 de dezembro de 1982, o governo do Estado adquiriu o Majestic do Banrisul e, um ano mais tarde, o prédio foi arrolado como patrimônio histórico, tendo início, a partir de então, sua transformação em Casa de Cultura.
A obra de transformação física do Hotel em Casa de Cultura, entre elaboração do projeto e construção, desenvolveu-se de 1987 a 1990. O projeto arquitetônico foi assinado pelos arquitetos Flávio Kiefer e Joel Gorski, os quais tiveram o desafio de planejar 12.000 m2 de área construída para a área cultural, em 1.540m2 de terreno. Em 25 de setembro de 1990 a casa foi finalmente aberta.
(fonte: http://www.ccmq.com.br/site/?page_id=183)

Foto por: Annie Bitencourt

 

Por dentro da Casa de Cultura Mario Quintana

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Quem foi Mario Quintana?

 

Mario Quintana nasceu em Alegrete, dia 30 de julho de 1906 e, com 20 anos, vem morar em Porto Alegre. Morou no Hotel Majestic de 1968 a 1980.

Publicou mais de 20 livros, sem contar as antologias. O primeiro, aos 34 anos, “A Rua dos Cataventos”. O último, em 1990 “Velório sem Defunto”. Com Sapato Florido, Pé de Pilão, Caderno H, Esconderijos do tempo, Lili inventa o mundo, consagrou-se como poeta do cotidiano e lirismo, e um dos ícones da literatura brasileira.

Poeta, jornalista e tradutor, trabalhou nos Jornais O Estado do Rio Grande e no Correio do Povo (com sua coluna Caderno H). Como tradutor, notabilizou-se com sua impecável tradução de Proust. Traduziu a literatura européia, como Giovani Papini, Virginia Woolf, Voltaire, entre outros.

Morreu em 5 de maio de 1994, aos 87 anos, imortalizado pela Casa de Cultura que leva seu nome e, principalmente, pelo Quarto do Poeta, uma reconstituição fiel com móveis e objetos pessoais do escritor.
(fonte: http://www.ccmq.com.br/site/?page_id=8)

O Quarto de Mario Quintana (foto por: Annie Bitencourt)

 

Trabalhos Artísticos

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Hotel Majestic

O Hotel Majestic teve seu auge nas décadas de 1930, 1940 e 1950. Durante esse período teve como hóspedes grandes nomes da política, como os ex-presidentes Getúlio Vargas e Jango Goulart, e do mundo artístico, como Vicente Celestino, Virginia Lane e Francisco Alves. A Casa foi nomeada em homenagem a um dos maiores poetas brasileiros, Mário Quintana, nascido na cidade gaúcha de Alegrete mas que adotou Porto Alegre como sua cidade de coração. O escritor viveu no hotel entre 1968 e 1980, no apartamento 217. (fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Casa_de_Cultura_Mario_Quintana)

Casa de Cultura Mario Quintana – Antigo Hotel Majestic (foto por: Annie Bitencourt)

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Daniela F

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Cia. Barbixas de Humor

A Cia. Barbixas de Humor é um grupo humorístico formado por Daniel Nascimento, Anderson Bizzocchi e Elidio Sanna. O grupo ficou conhecido pelo seu espetáculo de improvisação “Improvável”. ¹

Fortemente inspirado no programa “Whose Line is it anyway”, o espetáculo “Improvável” é um projeto de humor baseado em jogos de improviso no qual a platéia tem fundamental importância para criação das cenas.
Nele, um Mestre de Cerimônias convidado explica os jogos de improviso, dá os desafios aos atores e seleciona as sugestões da platéia. Além do mestre de cerimônias, os Barbixas também recebem um ator convidado que irá jogar com eles. Como tudo é baseado no improviso, o público sempre verá uma peça diferente e interativa. Veja a lista de atores/jogadores convidados.²

***

Eu acompanho o trabalho dos Barbixas desde 2007/2008. Assistindo os vídeos disponíveis no YouTube mas até então nunca tinha ido ver algo ao vivo deles. Em junho viajei para SP e mesmo assim não consegui ingresso para ver o espetáculo. Vocês conseguem imaginar a felicidade que meu namorado e eu ficamos ao descobrir que em novembro eles iam vir pro RS.
É uma sensação muito boa poder participar do espetáculo junto com eles. No início damos sugestões de frases e coisas engraçadas para eles usarem durante a apresentação. E é realmente tudo ali na hora. Não tem um roteiro.
Eles pedem para as pessoas não filmarem nada durante o espetáculo. Mas dão um tempo no início para todos tirarem fotos (até fazem poses).

Foto por: Annie Bitencourt

A qualidade das fotos ficaram bem ruins, mas valeu a pena registrar o momento.

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Foto por: Annie Bitencourt

 

Teto sobre a plateia do Theatro São Pedro, onde aconteceu o espetáculo Improvável com Cia. Barbixas de Humor. (Foto por: Annie Bitencourt)

 

Por hoje é só!
Espero que tenham gostado desse estilo de postagem.
Deixe nos comentários suas sugestões de filmes, livros, séries, músicas, jogos e etc.

Um beijo no queixo
Annie Bitencourt

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *