Raw (Grave) – Review

Raw (Grave) – Review

7 de fevereiro de 2018 2018 Reviews de Séries e Filmes Terror 0

 

Raw

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 18 ANOS

Elenco: Garance Marillier, Ella Rumpf, Rabah Nait Oufella
Direção: Julia Ducournau

Sinopse: Na família de Justine, todos os integrantes trabalham com a área veterinária e são vegetarianos. No entanto, assim que Justine pisa na escola de veterinária, ela acaba comendo carne. As consequência deste ano logo serão sentidas e chocarão toda a família.

 

Esse foi o filme bom mais nojento que eu já vi em toda a minha vida (o outro filme foi O Albergue, mas esse não é bom).
Eu fiquei completamente chocada com tudo que eu assisti. Na sinopse sugere que a protagonista seja canibal e até ai tudo bem afinal depois de tantos anos assistindo filmes de terror canibalismo não me choca mais.
Mas existe uma diferença gritante entre um filme americano abordando a temática de canibalismo, onde tudo já é exagerado e o terror está explícito na tela o tempo inteiro e um filme com alta carga dramática em muitas cenas e aquelas pinceladas borradas de gore.

Para vocês terem uma ideia em uma das cenas a protagonista come um dedo, o que não deveria causar impacto em quem passou um bom tempo assistindo Jogos Mortais, por exemplo, mas o modo que a cena de fato acontece dá um arrepio na espinha.

A atuação da Garance Marillier tá incrível, ela começa com uma expressão facial dócil, de uma menina inocente, aparentemente estudiosa, obediente e lentamente vemos a transformação, o olhar começa a ficar assustador (o legítimo olhar de predador para uma presa, aquela coisa fixa sem piscar nenhuma vez), os movimentos outrora sutis começam a ficar mais violentos e pesados. E arrisco a dizer que tenha um pouco de frieza também.

Mas ela não é uma psicopata, o filme não se trata de psicopatas canibais. Pelo que notei o canibalismo dela é tratado como uma diferença apenas. Algo fora do padrão no DNA da família (sim, a mãe e a irmã também gostam de comer gente) como se fosse uma coisa ‘normal’.

O filme incomoda quem tem uma sensibilidade maior e não satisfaz a fome dos que gostam de muito gore. Além de ter alguns detalhes (talvez falhas) no roteiro que me fizeram questionar certas cenas.

No geral é um filme bom. Com uma fotografia boa, uma direção mediana, um roteiro igualmente mediano e uma atuação acima da média.

O filme está disponível na Netflix

Trailer

Por hoje é só
Um beijo no Queixo
Annie Bitencourt

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *