2019 Annie Filmes

Slender Man/ FILMES

Está para existir filme mais desnecessário que Slender Man.
Repleto de clichês entediantes e atuações mediocres o filme que tem apenas 1h30min se torna complicado de finalizar.
Basicamente é um grupo de adolescentes fazendo burrice que decide assistir um certo vídeo e depois começam a ficar mentalmente perturbadas com a sensação de estar sendo perseguida por uma criatura enorme sem rosto e com braços gigantes.
Não vou nem comentar da falta de criatividade do roteiro. Essa coisa do jovem burro ir assistir um vídeo que todos disseram para não assistir eu já vi em outros filmes (lembra de O Chamado?).

O problema desse filme é achar que um homem sem rosto de braços compridos é assustador. Nem mesmo os jump scares com aqueles “pã” em todo volume é o suficiente.

As protagonistas também não causam empatia nenhuma e você simplesmente não consegue torcer para elas sobreviverem.

É interessante pegarem uma lenda de internet e trazer isso para a superfície numa adaptação cinematográfica, mas acredito eu que devem ter outras lendas mais assustadoras e pouco exploradas do que o Slender.
Não posso ignorar que já existe um jogo com esse personagem, que sendo honesta me causava bem mais medo e sustos.

Mas isso é o total reflexo da falta de criatividade que Hollywood vem sofrendo nos últimos anos. Como eu comentei no último post (sobre A Freira) atualmente os cinemas estão sendo inundados de remakes (de filmes bons mas totalmente estragados em seus devidos remakes), continuações desnecessárias e roteiros de fórmulas gastas.

Dentro do terror então isso se torna ainda mais sufocante. Óbvio que é um gênero já super remendado e todas as boas histórias já foram contadas, o ruim não é a repetição em si de algo já abordado mas a maneira empobrecida que alguns roteiristas tem feito. Atualmente são histórias que não atiçam a curiosidade do espectador, pelo contrário, acaba nos fazendo bocejar de tédio e contar os minutos para o fim de algo que já sabemos exatamente como vai terminar. Isso frustra demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *