O Que Te Inspira? – Pensamento

3

Estava esses dias agoniada querendo muito escrever alguma história nova e dessa vez ir até o fim. Coloquei o caderno na minha frente, junto da caneta e fiquei horas esperando alguma coisa vir. E nada. Como se faltasse inspiração. E me coloquei a pensar: “Como é que esses escritores passam tanto tempo se dedicando a um livro sempre cheios de inspirações?”
Ainda não encontrei a resposta dessa pergunta. Mas após tomar um banho ontem finalmente veio uma inspiração: O título da história. Depois mais a noite, após assistir uns episódios de How I Met Your Mother e ficar atualizando minha page no facebook veio um pouco mais de inspiração e acabei escrevendo o Prólogo. Dormi pensando na minha história e agora ao acordar já consegui escrever o Capítulo 1.
E pensei: “Será que o segredo é não ficar esperando a inspiração e sim viver normalmente e escrever nem que seja uma palavra por dia até o trabalho inteiro ficar completo?” Acredito que sim.
A inspiração é algo muito complicado de explicar e procurar. Deve ser por isso que Hollywood agora sofre tanto com filmes criativos. Imagina quantas pessoas devem ter o mesmo tipo de inspiração diariamente. E quantas deve estar fazendo exatamente a mesma coisa. É tão legal imaginar que em um mundo inteiro algumas pessoas estejam se inspirando em alguma coisa agora mesmo. Ou em alguém.
Provavelmente algum escritor depois de meses tenha conseguido só agora escrever mais um capítulo para seu livro.
Ou alguma pintora tenha conseguido só agora terminar aquele quadro que estava incompleto por anos no seu porão.
Fico, desde criança, me imaginando ser entrevistada por alguém e vier a seguinte pergunta: “O que te inspirou para fazer isso?”

E nossa como seria difícil responder isso.
Poderia dizer que os Beatles me inspiraram…mas espere, eu não toco músicas.
Plano B, Tim Burton me inspir…novamente, eu não faço curtas no cinema.
Oh! Mas o que eu responderia?

Enquanto isso a entrevistadora estaria com cara de paisagem esperando uma resposta que futuramente inspirasse alguém que estivesse assistindo ao programa.

Vou pensar mais um pouco…

Teria Machado de Assis… hum.. Ok, seria uma boa inspiração. Boa até demais? Ou não?
Provavelmente terminaria a entrevista desviando a atenção da apresentadora que talvez esquecesse a pergunta feita.
E novamente minha inspiração estaria perdida em algum lugar no mundo esperando que eu a encontrasse para no futuro saber responder: “O que me inspira?”