Dica de Série: Atypical

0

Terminei hoje de assistir a primeira temporada da série Atypical da Netflix.

QUE SÉRIE MARAVILHOSA!

Acho que deve ser a primeira vez que uma série aborda como temática o autismo (já tinha visto que em uma novela na globo teve mas vi tanta gente criticando a abordagem que nem quis assistir). Não sou profissional em psicologia ou coisa do tipo então não tenho como comparar com a realidade. O que vou falar aqui é puramente opinião de alguém que assistiu uma série de TV com um assunto pouco explorado.

A série é extremamente sensível e também tem aquele bom e velho humor. Em um episódio eu chorei e ri e chorei de novo e ri novamente.
Os personagens também são maravilhosos.

Temos Sam que é o moço principal. Ele tem autismo e a série mostra justamente ele tentando se adaptar com o mundo e parte do mundo tentando se adaptar a ele. Pra mim o personagem mais cativante.
Depois temos a irmã do Sam, a Casey. QUE GAROTA INCRÍVEL! Logo no começo ela aparece defendendo uma garota de umas bullies (bullys? não sei escrever) dando um belo soco da criatura do bullying (não que eu apoie violência mas o momento na série é maravilhoso) e desde então Casey não decepciona. Inclusive terminei a série desejando fortemente conhecer alguém como ela.

Atypical é super curtinha tem menos de 40 minutos e apenas 8 episódios na temporada.

Já posso dizer que virou minha favorita e espero de verdade que Netflix não enlouqueça e resolva cancelar.

Inclusive os momentos de Sam reclamando de barulhos e luzes eu super me identifiquei.
Mas enfim, essa é a minha dica para vocês que querem fugir um pouco das séries de drama e comédia pastelão. Deem uma chance para Atypical.

Ps.: Alguns momentos na série me incomodaram um pouco por eu ter um pensamento um pouco radical a respeito de alguns assuntos. Mas nada que me fizesse odiar a série.

Vai Uma Pipoquinha Aí? (002)

0

Um filme que assisti meio que sem querer na Netflix (sério, me patrocinem!) uns tempos atrás e revi essa semana é I’m Not a Serial Killer.

O filme é um suspense/terror psicológico de 2016. Tem a direção de Billy Thomas O’Brien e é uma adaptação do primeiro livro de uma série do Dan Wells (que pelo que vi tem poucos livros traduzidos aqui nas terras tupiniquins). Não li o livro (mas pretendo e me arrisco a dizer que talvez seja o primeiro livro que irei ler em inglês) apenas assisti o filme e minha sugestão (no momento) será do filme.

A história é a seguinte: Temos John Cleaver (interpretado por Max Records – que fez Onde Vivem os Monstros) um moço bem bonitinho por sinal de 16 anos que é meio que diagnosticado com sociopatia (e tem total ciência do que é isso). Ele tem uma certa fascinação por serial killers (pode ser amigo do Noah de Scream haha) e por causa disso meio que sofre bullying na escola. Por causa de sua sociopatia de vez em quando o moço tem uns impulsos meio estranhos mas se controla o máximo que pode pois não quer ser alguém ruim. Então começa a ter uma onda de assassinatos na cidade dele e isso o deixa bastante intrigado. John inicia uma investigação amadora (usando seus conhecimentos a respeito de serial killers) para tentar achar o responsável por tais crimes. E é aí que o filme fica muito bom.

Christopher Lloyd as Bill Crowley and Max Records as John Cleaver in ‘I Am Not a Serial Killer’

Enquanto assistia ele fiquei o tempo inteiro esperando um final super clichê onde ele provavelmente se renderia aos impulsos mataria alguém e viriam tretas, porém o que acontece é algo totalmente inesperado (pelo menos pra mim) e que me deixou surpresa e bem feliz.

Recomendo demais! Nota: 8.5

Elenco: Max Records, Laura Fraser, Karl Geary e Christopher Lloyd.

TRAILER:

Ps.: O filme é meio injustiçado no filmow, então eu meio que não confiaria totalmente nas notas do site e assistiria o filme para ter minhas próprias conclusões (pensando bem foi isso mesmo que eu fiz).

Ps2.: Outro filme injustiçado é Segredo da Cabana <3

Ps3.: Quando eu ler o livro provavelmente vai ter uma resenha bem bonitinha e comparações entre o livro e o filme.

Ps4.: Falando em livro que virou filme vai sair uma adaptação pela Netflix do livro Caixa de Pássaros (que você pode conferir a resenha >> AQUI << e tem dedo da Sandra Bullock no meio.