The Underground Railroad – Os Caminhos Para a Liberdade (Resenha)

The Underground Railroad – Os Caminhos Para a Liberdade (Resenha)

5 de março de 2018 2018 Drama Resenhas 0

 

Autor: Colson Whitehead
Editora: Harper Collins
Ano de lançamento: 2017

Sinopse: Cora é uma jovem escrava em uma plantação de algodão na Georgia. A vida é infernal para todos os escravos, mas especialmente terrível para Cora. Uma pária até entre outros africanos, ela está chegando à maturidade, que a tornará vítima de dores ainda maiores. Quando um recém-chegado da Virgínia, Caesar, revela uma rota de fuga chamada, a ferrovia subterrânea, ambos decidem escapar de seus algozes. Mas nada sai como planejado. Cora e Caesar sabem que estão sendo caçados: a qualquer momento podem ser levados de volta a uma existência terrível sem liberdade.

 

The Underground Railroad ganhou o prêmio Pullitzer do ano passado, então óbvio que criei uma expectativa monstro. Não tinha lido nenhuma resenha a respeito do livro pois queria ter apenas a minha própria leitura como base.

Demorei alguns capítulos até conseguir entender realmente o que estava acontecendo. Achei o começo extremamente confuso. O autor nos apresenta 3 personagens: Ajarry, Mabel e Cora. E até eu entender quem era quem e suas relações com os outros personagens (inclusive entre elas mesmas) levou um bom tempo.
Não consegui me apegar aos personagens e fiquei extremamente incomodada quando o autor “esqueceu” a existência de Caesar, vindo a justificar o que aconteceu com ele bem depois e de uma maneira bem superficial. Pra mim foi praticamente isso: “Ei fulana o que houve com o fulano?” “Ah ele morreu”. Senti falta de mais detalhes, realmente parecia que o autor pouco se importava com a existência de Caesar.
Então temos Ridgeway, que é um verdadeiro pé no saco com a protagonista. Um cara violento (até porque naquela época os negros eram tratados com bastante violência) e insuportável.
Embora o foco da história seja Cora existem alguns capítulos focados no próprio Ridgeway, também em Mabel (mãe de Cora), Ethel (uma simpatizante da causa abolicionista) e Caesar (o injustiçado abandonado pelo autor).
Em um certo momento da história Caesar e Cora conseguem fugir da fazenda de onde são escravos e então tem-se alguns capítulos focados na liberdade deles. Ambos morando em outra cidade e até trabalhando. Enquanto isso Ridgeway focado em encontrar Cora custe o que custar (por puro rancor pois não conseguiu capturar a mãe de Cora quando a mesma fugiu). Quando comecei a me acostumar com a rotina dos personagens na vida nova fui surpreendida com uma nova necessidade de fuga, e nesse momento Caesar fica “sumido” e temos notícias apenas de Cora.
No geral posso dizer que gostei da história. Embora esperasse que fosse virar meu favorito que nem O Sol é Para Todos, por exemplo. Tive pequenas decepções mas caso Colson Whitehead venha a lançar algum livro novo com certeza irei ler. Não vou comentar sobre a edição, tradição e diagramação pois realmente não entendo dessa parte editorial e aqui quero apenas trazer uma opinião de leitora para vocês.
Algumas pessoas poderão se frustrar com o livro pois o final não tem exatamente um final. E parando pra pensar The Underground Railroad não é um livro sobre um escravo mas sobre liberdade. Tanto é que a própria mãe de Cora ao fugir pretendia retornar para a fazenda apenas para dizer a sua filha que havia experimentado um pouco da liberdade e o quanto aquilo era bom. Um livro cru, com a realidade do preconceito exposto.

 

Você pode adquirir The Underground Railroad nos links abaixo:

SUBMARINO
SARAIVA
AMAZON

Por hoje é só!
Um beijo no queixo
Annie Bitencourt

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *